fbpx

Formação Interna da equipe do Coletivo com Rina Nissim.

Foi com muita alegria e emoção que recebemos Rina Nissim para um café da manhã em nossa casa pra conversar sobre sua trajetória na Suiça que inspirou, dentre outras coisas, a formação do Coletivo na década de 80.

Rina é formada enfermeira há 40 anos, mas inventou uma nova profissão: a de cuidadora de mulheres. Na década de 70 criou oDispensaire de femmes inspirada em clínicas de auto ajuda que conheceu nos EUA depois de formada. Esse local era também uma clínica em que mulheres ajudavam mulheres a se examinar, desenvolver autonomia sobre seus corpos, escolher os tratamentos (naturais ou não) para seus sintomas e desequilíbrios e onde aconteciam grupos de auto cuidado e trocas sobre suas experiências. Rina recebeu uma das fundadoras do Coletivo em Genebra na década de 80, Maria José, que fez estágio com ela e trouxe para São Paulo muito do que aprendeu por lá. Além disso, Rina Nissim é autora do livro “Mamamélis – um guia de ginecologia natural”, que traz a experiência em fitoterapia e outras práticas naturais para tratar os principais desequilíbrios de mulheres.

Artigos Relacionados:

Rua Bartolomeu Zunega, 44 Pinheiros – São Paulo/SP
© 2020 Coletivo Feminista de Sexualidade e Saúde • Todos os direitos reservados.

Segundo a OMS, o Brasil tem a 5a. maior taxa de feminicídios do mundo. Entre 1980 e 2013, 106.093 mulheres morreram por serem mulheres. A Agência Patrícia Galvão traz dados que confirmam que ser mulher é um risco: uma travesti ou mulher trans é assassinada no país a cada dois dias; 30 mulheres sofrem agressão física por hora; uma mulher é estuprada a cada dez minutos; 97% das mulheres já foram vítimas de assédio no transporte; e 76% das mulheres já sofreram violência e assédio no trabalho.