fbpx

Tensão Pré-Menstrual e Medicina Tradicional Chinesa

Tensão Pré-Menstrual e Medicina Tradicional Chinesa

Existem dois princípios fundamentais na Medicina Tradicional Chinesa (MTC): o sangue (Xue), que é um líquido maravilhoso que carrega nutrientes e que precisa fluir juntamente com nosso Qi (energia). Xue e Qi, um acompanha o movimento do outro; o Qi move o sangue e o sangue em movimento faz fluir o Qi. Como um rio, a água precisa ser suficiente, estar limpa e fluindo, em proporção com a capacidade de vazão do rio para que se integre e colabore com todo o ecossistema.

As fases do ciclo menstrual

Para entender o que pode “dar errado” na menstruação e que leva à dor, desconforto e mal-estar, precisamos primeiramente compreender a fisiologia dos corpos, isto é, o que seria o “normal” ou o “esperado” no funcionamento de nossos organismos

O ciclo menstrual pode ser dividido em quatro (4) momentos:

Menstruação: período que pode durar em média entre três (3) e sete (7) dias, em que ocorre a saída do sangue menstrual do útero;

Fase folicular: é o período posterior à menstruação, em que existe maior atividade em nosso cérebro. Aqui uma longa dança faz com que regiões do nosso cérebro sejam sincronizadas e trabalhem concomitantemente com nossos ovários; 

Ovulação: o ovário coloca um óvulo (também conhecido como folículo ou ovócito) em ação para ser lançado para fora dele. Quando isto ocorre, existe um aumento de temperatura corporal e um pico hormonal que libera o óvulo;

Fase lútea ou pré-menstrual: quando o óvulo é lançado para fora, ele deixa uma espécie de “cicatriz” ou “glândula provisória” chamada “corpo lúteo”. Esta pequena estrutura tem a função de manter os níveis de progesterona alta. 

Para compreender em profundidade as possíveis causas dos desconfortos na menstruação, vale a pena explorar um pouco sobre as funções dos estrógenos e da progesterona. Os chineses da antiguidade não conheciam os hormônios, mas, a partir da observação dos ciclos e ritmos, descreveram as diferentes fases do ciclo menstrual que hoje sabemos que coincidem, entre outras coisas, com as funções dos hormônios e as mudanças que produzem no organismo.

Estrógenos: são um grupo de hormônios que realizam funções constitucionais, isto é, participam na construção de estruturas físicas (endométrio, ossos, lubrificação vaginal, vasos sanguíneos etc.). Segundo a MTC, tal capacidade que nosso organismo tem em se estruturar e se regenerar é característica do Yin.

Progesterona: é um hormônio que, como o próprio nome já diz, é “pró-gestação”, ou seja, é um hormônio que busca realizar uma função, que, neste caso, é a gestação. Diferente dos estrogênios, a progesterona vem para colocar o organismo em ação, provocando o aumento da temperatura, o que para muitas pessoas gera um aumento da libido. A sensação dessa fase, quando ela é saudável, é como se o corpo estivesse mais quente e disponível para o mundo externo, para as relações, por exemplo. Quando algo não está funcionando bem durante esta fase, haverá irritação e um aumento de tensão física e emocional, o que pode resultar em insônia, dor de cabeça e dores no corpo. Esta é claramente uma fase que os chineses nomearam Yang, ou seja, uma fase expansiva.

Para entender a tal da tensão pré-menstrual, também conhecida como “TPM”, precisamos pensar que nosso organismo é como a  turbina de um avião. Quando a turbina é ligada, para que ela funcione bem e sua estrutura aguente a pressão causada pela força da própria turbina em movimento (Yang), é necessário ter certeza que a estrutura tenha sido revisada e todos os materiais e conexões estejam funcionando adequadamente (Yin). 

Observando agora as quatro (4) fases do ciclo menstrual através da visão da MTC, diríamos em grandes linhas que o ciclo pode ser representado da seguinte maneira:

Menstruação: é o final do ciclo anterior e início do próximo. Nesse momento, é importante ter sangue suficiente para ser extravasado para fora do útero,  mobilização energética para que essa vazão aconteça e capacidade de sangramento autolimitado para que não haja hemorragia. Má alimentação, falta de atividade física, tensões e congestões (principalmente pélvica e abdominal) impedem que esse fluxo aconteça de uma forma fluída, o que pode gerar dor e desconforto. 

Fase folicular: é uma fase mais fria do organismo como um todo. Portanto, é preciso aquecê-lo através dos hábitos. Por exemplo: não andar com os pés no chão frio, evitar exposição ao frio em geral e comer alimentos mais aquecidos. Claro que tudo isso vai variar conforme a estação do ano e o local geográfico onde está cada pessoa. Anteriormente, indicamos que esta fase é Yin, constitucional. O endométrio será estimulado a se formar, um novo folículo será preparado no ovário e, para este processo, é importante nutrir nossa essência. Isto significa cuidar da energia dos nossos rins, fígado e baço-pâncreas, através de uma alimentação variada, rica em raízes, grãos, frutas e verduras, além de privilegiar o descanso, tentando dormir  cedo – idealmente se deitar no máximo até as 22h. Estes são alguns dos hábitos que ajudam muito o nosso Yin. É uma fase do mês em que podemos sentir necessidade de menos atividades e maior recolhimento.

Ovulação: nessa fase acontece um pico de energia Yang, uma energia mais expansiva. O corpo aquece e a temperatura e a libido podem subir também. É um período em que nossa criatividade costuma estar mais nutrida e em que nos dispomos mais à socialização. Contudo, essas energias mais altas devem sempre ser acessadas de uma forma tranquila. Se a fase anterior foi vivida com moderação, a chance é de ter um período ovulatório interessante, mas sem excessos.

Pré-menstrual ou fase lútea: aqui o organismo está mais sob ação da progesterona, aquele hormônio que faz uma verdadeira festa no nosso corpo. A chave para que exista um equilíbrio saudável e que essa “excitação” geral do organismo não se volte contra nós, transformado-se em fúria, raiva ou excessos em geral, reside em termos vivenciado bem as fases anteriores.

Por isso, lá no início afirmamos que era importante olhar todo o ciclo e abandonar a ideia de que o problema é a menstruação.

Quando a relação entre Yin e Yang está proporcionada dizemos que existe saúde. Na prática, isto deve significar, por exemplo, que para um dia de atividades, existe uma noite de descanso; para uma situação de stress, existe um recolhimento e acolhimento das emoções; para um dia de alimentação ruim, compensemos oferecendo a nosso corpo aquilo que sentimos que é bom para ele; e assim sucessivamente…

Não somos máquinas e estamos sujeitas diariamente a uma série de questões, dificuldades e conflitos em nossas vidas que podem nos tirar de nosso centro. Por isso, o desafio que a MTC nos convida a encarar é o de levar uma vida feliz e moderada, que permita justamente estarmos tranquilas e com saúde para enfrentar os desafios no caminho.

Nota da autora: É necessário ressaltar que este texto não se refere a incômodos causados por patologias, mas à tensão pré-menstrual sem causa específica.

Escrito pela equipe do Coletivo Feminista

Rua Bartolomeu Zunega, 44 Pinheiros – São Paulo/SP
© 2020 Coletivo Feminista de Sexualidade e Saúde • Todos os direitos reservados.

Segundo a OMS, o Brasil tem a 5a. maior taxa de feminicídios do mundo. Entre 1980 e 2013, 106.093 mulheres morreram por serem mulheres. A Agência Patrícia Galvão traz dados que confirmam que ser mulher é um risco: uma travesti ou mulher trans é assassinada no país a cada dois dias; 30 mulheres sofrem agressão física por hora; uma mulher é estuprada a cada dez minutos; 97% das mulheres já foram vítimas de assédio no transporte; e 76% das mulheres já sofreram violência e assédio no trabalho.